Por que precisamos de ondas na relação mãe-filho?

 

Por que precisamos de “ondas” na relação mãe-filho?

09 de maio de 2013

*Meiry Kamia

A relação mãe-filho nunca é um mar de rosas, nem deveria ser. Isso porque é com a mãe que a criança exercita suas primeiras emoções: ora adora a mãe, ora odeia a mãe. E é nesse mar de sensações que a criança aprende a lidar com suas próprias emoções. Às vezes é do desequilíbrio que chegamos à harmonia.

Apenas um vínculo muito forte é capaz de sustentar os momentos de raiva, tristeza profunda e guerras psicológicas que os filhos muitas vezes teimam em travar. E os filhos aprendem, por fim, que as pessoas têm limite. E assim, aprendem a respeitar os seus limites e também os dos outros. E aí sim estão prontos para testar novas relações fora do lar de forma mais equilibrada e sadia.

Sem nossas mães seria difícil treinar nossas emoções, e raramente desenvolveríamos nosso autocontrole, capacidade de tolerar frustrações, capacidade de dar e receber, terminar e recomeçar, etc.

Através do olhar de nossas mães, nos fazemos inteiros. Seu amor nos aceita, nos preenche, nos dá confiança, e potencializa nossa força interna, nossa fé, para que possamos colocar em prática os nossos maiores projetos de vida.

Ao sermos pais, temos a oportunidade de olhar o outro lado da moeda. É nossa vez de dar suporte, acolher, orientar e amar incondicionalmente, independente do momento que nossos filhos estejam passando. Percebemos então, que não somos perfeitos, que nem sempre temos todas as respostas e que ficamos confusos enquanto pais, e assim, perdoamos as faltas, que por ventura, nossas mães e pais tenham deixado.

Sendo assim, as melhores relações não podem ser um “mar de rosas”. É preciso “ondas” que nos façam exercitar a paciência, a tolerância, a compreensão, o autocontrole, a disciplina, a humildade, a vontade, e outras importantes virtudes.

Nesse Dia das Mães, vamos agradecer àquela que nos ajudou a sermos o que somos! Dêem um abraço muito forte em suas mães e agradeçam…Mãe, muito obrigado!!

*Meiry Kamia é palestrante, psicóloga, mestre em Administração de Empresas, consultora organizacional. Diretora da Meiry Kamia – Consultoria, Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas (www.meirykamia.com).

Disponível em: http://www.diariodemarilia.com.br/Noticias/121643/Por-que-precisamos-de-ondas-na-relao-me-filho

VEJA TAMBÉM:

* Prejuizo que a raiva traz ao trabalho. 

* Medos que paralisam o mundo corporativos.

* Dicas para combater o estresse no trabalho.

* Dores de cabeça, desânimo, frustação, irritação no trabalho,…será a Síndrome de Burnout?